A partir de agora navegadores passarão a mostrar sites que não possuem HTTPS como “não seguros”

Compartilhe

A partir de agora navegadores passarão a mostrar sites que não possuem HTTPS como “não seguros”

Navegadores mostrarão de forma explícita quando site não está sendo acessado por SSL
Identificação será mais enfática a partir de agora

Em fevereiro de 2018 o Google anunciou que seu navegador passaria a mostrar de forma mais enfática quando um site não possui o HTTPS habilitado. A mudança, inicialmente prevista para a versão 68 do Chrome, será liberada para download a partir desta terça, 17/07.

Este é mais um esforço do Google em forçar os desenvolvedores a migrarem para o HTTPS. Ele é mais seguro que o HTTP por criptografar todas as informações com SSL ou TLS, evitando que pessoas mal intencionadas espiem seu tráfego. Além disso, vários recursos modernos da web exigem a utilização do HTTPS.

Se você possui um site e ele está aparecendo como “Não Seguro”, clique aqui e descubra como resolver!

Como saber se estou seguro?

Hoje em dia, quando você navega em um site, precisa estar atento se ele possui o HTTPS no início do endereço, o que significa que o site possui um certificado atestando que as informações trocadas entre você e o site estão criptografadas. Essa verificação é ainda mais importante quando você vai inserir dados como formulários e páginas de compra de produtos. 

A partir desta terça, a situação se inverterá: se antes os sites seguros eram exibidos como tal, a partir de agora os sites inseguros terão esta condição salientada, segundo o Google.

Exemplo de site Sem SSL habilitado
Exemplo de site Sem SSL habilitado

O que significa essa mudança?

Até então, a maioria dos sites de empresas e organizações não se preocupava com a presença do cadeado em seus sites, pois a informação era levada em conta somente no caso de instituições financeiras e e-commerces. Agora, qualquer site será marcado como “não seguro”, o que poderá gerar dúvidas entre os usuários.

De acordo com o Google, 68% do tráfego dos sites visitados por usuários do Chrome no Windows e o Android já é criptografo. Entre usuários de macOS e Chrome OS, a proporção é ainda mais alta: 78%. Dos 100 maiores sites da web, 81 já utilizam conexões seguras e criptografadas para todas as suas páginas. Em 2016, esses números eram menores: 42% do tráfego de usuários de Windows e Android era criptografado e 37 dos 100 maiores sites usavam criptografia em todas as páginas.

O cadeado de segurança e o HTTPS presente nos navegadores são uma garantia a mais e necessária para a navegação segura na web, mas eles não dispensam uma verificação cuidadosa do endereço acessado e de seu conteúdo.

Para o Google,  esta ação tem o intuito de melhorar a segurança da internet evitando alguns tipos de golpes que são aplicados nos usuários mais desavisados. O uso do HTTPS dá a certeza de que o usuário está navegando pelo site com um perigo menor de cair em algum golpe que exponha seus dados.

Fontes:

https://g1.globo.com/tecnologia/blog/seguranca-digital/post/chrome-marcara-sites-sem-criptografia-como-nao-seguros.html

https://tecnoblog.net/233954/chrome-http-site-nao-seguro/

Comentários